Fundado em 1999, o SMER (Direcção) mostrou logo nas primeiras eleições legislativas a que concorreu, em Setembro de 2002, que era um partido a ter em conta no sempre instável panorama partidário da Eslováquia. Nesse escrutínio conseguiu eleger 25 em 150 deputados, só ficando atrás dos nacionalistas do Movimento para uma Eslováquia Democrática (HZDS) e da União Democrática e Cristã da Eslováquia (SDKU), com 36 e 28 mandatos respectivamente.

No entanto, nas vésperas desta campanha eleitoral, os sociais-democratas do SMER eram já a maior força no Parlamento (a Národná Rada) devido a dissidências naqueles dois partidos, e as sucessivas sondagens faziam esperar uma vitória tranquila para o dia de ontem. O que acabou por se verificar: o SMER não só duplica o número de deputados como deixa uma margem confortável em relação ao segundo partido mais votado, o SDKU.

Liderado pelo carismático Robert Fico, advogado de formação e adepto da terceira via de Tony Blair, o SMER poderá agora constituir governo se conseguir reunir um número suficiente de partidos para formar coligação. É que a história recente demonstra que, muito embora o SMER tenha saído vencedor deste escrutínio, o poder executivo não estará garantido se não for encontrada uma maioria absoluta pós-eleitoral.

Nas últimas eleições legislativas foi o partido nacionalista HZDS que recolheu mais votos, mas seria uma coligação pós-eleitoral de quatro partidos de centro-direita a definir o rumo do país. Os cristãos-democratas do SDKU, segunda força partidária mais votada em 2002, lideraram essa coligação sob o comando de Mikuláš Dzurinda.

Tal como no caso português, o aval do presidente da República é fundamental para a constituição de Governo.

COORDENADAS ÚTEIS:

IFES Election Guide

Gabinete de Estatísticas da Eslováquia

Zárate’s Political Collections (ZPC)

CIA World Factbook

Partido SMER (em eslovaco)